Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um Anónimo em Lisboa

Um Anónimo em Lisboa

Hino ao desporto...

Hoje foi dia de Benfica-Sporting. Hoje foi dia de Derby. Sim, com maiúscula e tudo. Porque é um dos maiores e mais antigos derbies do mundo.

Sou Sportinguista, mas não quero discutir quem ganhou ou perdeu.

Faz-me confusão o ponto a que chegou o futebol. As notícias não são os jogadores, mas sim quantos adeptos foram presos ou feridos. Ver o cortejo das claques visitantes a chegar aos estádios é um espetáculo tenebroso. De gente que não está lá para ver futebol, ou para apoiar a sua equipa, mas para causar distúrbios. E não digo isto em relação às claques do Sporting, mas sim em relação a todas.

Os adeptos transformaram-se em soldados e os estádios (e as suas redondezas) em campos de batalha. No meio, perde o futebol. 

Hoje em dia é impossível ir a um estádio que não seja o do próprio clube. É impossível levar amigos ou familia que sejam do adversário. Aliás, deixou de haver respeito pelos adeptos da outra equipa. A coberto de movimentos ultra, já morreram pessoas em estádios, já foram espancadas pessoas dentro e fora dos estádios. E isto não é desporto.

As rivalidades são salutares. Mas o respeito pelo adversário também. Saber ganhar e saber perder deveria fazer parte da educação. E acima de tudo, não ultrapassar determinados limites. Não sei se aconteceu hoje, mas ouvir claques do Benfica a cantar "FOI NO JAMOR QUE O LAGARTO ARDEU / NA FINAL DA TAÇA O VERY LIGHT É QUE O ..." ultrapassa todos os limites. E não é caso único. Por causa do desastre que vitimou a equipa do Chapecoense, uma das mais bonitas homenagens foi no estádio da Juventus.

 Mas também no mesmo estádio, já apareceram vários cartazes a gozar com o desastre do Torino...

 Enquanto isto continuar, enquanto não se perceber que um jogo não é uma batalha, o futebol não é desporto.