Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um Anónimo em Lisboa

Um Anónimo em Lisboa

Somos Inteligentes, Realmente Espertos ou Somos Parvos (SIRESP)?

Querido blog. Voltei!

 

Desaparecido em Janeiro, regressado em Junho. Já me aconteceu e voltará a acontecer... Porque eu sou assim. Inconstante! Esquecido!

 

E voltei, não por causa dos puns do Salvador, não por causa do futebol, mas por causa de ocorrências estranhas. Ouso dizer paranormais (ou se calhar é exagero).

 

Querido Blog, quero falar contigo sobre o SIRESP. Porque está na moda. Porque é giro. Porque toda a gente fala nele. 

 

Não sabes o que é o SIRESP? Pois bem o SIRESP é o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal. Uma ideia fantástica, de fazer com que todos os serviços de proteção comuniquem entre si, para coordenar a resposta a emergências. Não sei, nem vou fingir que percebo alguma coisa de tecnologia ou comunicações a este nível. Não sei se usam a tecnologia certa, a melhor ou a mais recente, a mais testada ou a mais resistente, ou a mais fiável. Mas sei dizer-te que é uma plataforma onde Bombeiros, PSP, GNR, INEM e outras iniciais comunicam em caso de emergência. 

 

Primeira questão: SLN, BPN, GES, PT. Daniel Sanches,  António Costa, Fernando Rocha Andrade, Diogo Lacerda de Machado. Nomes que aparecem numa reportagem no Publico sobre o SIRESP. SLN, GES e PT integram o consórcio que ganhou o concurso do SIRESP. Daniel Sanches assinou o despacho. António Costa anulou o despacho do Daniel Sanches. Fernando Rocha Andrade renegociou, juntamente com Diogo Lacerda de Machado. Onde já ouvi estes nomes?

 

Segunda questão: Porquê uma Parceria Público-Privada? Um sistema de comunicação de emergência não deveria ser do Estado, gerido pelo Estado? Deve-se estar dependente de terceiros?

 

Terceira questão: Funciona ou não? Onde estão as avaliações? Não deveríamos ter conhecimento? Porquê todas as criticas? Se tem problemas em condições adversas, se as antenas estão avariadas, se vai abaixo, podemos ter um sistema de comunicação de emergência com estas contigências? Deve-se rescindir o contrato?

 

Pensa nestas coisas.