Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Um Anónimo em Lisboa

Um Anónimo em Lisboa

E depois do adeus...

Continuo como acabei ontem. Estas imagens deixam-me com um nó na garganta. 40 anos, quase 41 (eu, não o Iniesta) e choro a olhar para estas imagens. A tentar imaginar o que é um grande capitão a despedir-se da sua equipa. 22 anos de casa. Dizem os relatos que foi depois da 1 e meia da manhã que iniesta conseguiu abandonar aquela que foi a sua casa desde tenra idade.

 

Mais emocionado fico quando percebo que nunca no Sporting assisti a tal coisa. Tantos e tantos jogadores por aqui passaram, e nunca vi uma despedida emocionada, um gigante "Obrigado". Todos os que me lembro, tenham 5, 10 ou 15 anos de casa em Alvalade sairam pela porta pequena, normalmente assobiados pelo exigente tribunal de Alvalade, não perdoando a traição. 

 

Não me lembro de ser feito o que aconteceu no fim de semana passado em Barcelona e em Turim. A substituição da consagração. A oportunidade de todos se despedirem e do próprio agradecer. Não digo que não tenha acontecido. Apenas não me lembro. O que me lembro são jogos de homenagem decididos por tribunal. Decididamente o Sporting não sabe homenagear os seus...

 

Rui Patrício será mais um. 17 anos em Alvalade, produto da primeira fornada de Alcochete, sairá (se se confirmar) pela porta pequena, empurrado por um pequeno ditador que, na ânsia de se salvar, não hesita em crucificar aqueles que passaram a sua vida no Sporting.

 

Tenho muita pena de ver Rui Patrício sair assim...

 

 

2 comentários

Comentar post